CategoriesManutenção,  Melhoria Contínua

Conheça os diferentes tipos de manutenção na indústria 

Boa parte do tempo de inatividade não programada de uma máquina é causada pelo envelhecimento de seus componentes e essa é a principal causa de falhas e quebras de equipamentos. Isso mostra a importância de estabelecer uma estratégia de manutenção eficiente para reduzir falhas, reduzir o tempo de inatividade e garantir a produtividade dos equipamentos.  

Ou seja, uma estratégia de manutenção garante que os ativos estejam em boas condições de funcionamento e aumenta a vida útil dos equipamentos. Por outro lado, uma estratégia de manutenção defasada e baseada em reagir quando uma máquina para é ineficiente, aumenta os custos e pode prejudicar os negócios.  

Uma abordagem moderna utiliza a tecnologia para melhorar a eficiência da estratégia de manutenção, analisando dados e permitindo que as equipes possam agir antes de uma falha ocorrer. 

Tipos de manutenção

Qualquer empresa que opera com máquinas precisa de uma estratégia de manutenção, afinal, componentes se desgastam e quebram. Qual estratégia escolher depende unicamente do tipo de equipamento e o impacto que essa máquina parada tem na produção.  

Manutenção reativa

Também chamada de manutenção corretiva ocorre quando há mau funcionamento do equipamento, causado por falha ou quebra de um componente, exigindo que uma equipe de manutenção esteja disponível para agir rapidamente. É um tipo de manutenção custoso, que implica em manter um grande estoque de peças de reposição, manter os recursos de pessoal disponíveis e pelo tempo de inatividade não programado. 

Manutenção preventiva

Tem como foco agir preventivamente e reduzir a possibilidade de falhas antes que elas ocorram. Exige que um cronograma de manutenção seja seguido e, assim, pode reduzir o tempo de inatividade não programado e as condições que possam a levar a essas interrupções. O modelo reduz os custos de manutenção em comparação com uma ação reativa, mas tem como desvantagem não levar em consideração o envelhecimento da máquina, o que reduz sua eficácia.  

Manutenção baseada em condições

Por meio de sensores, a manutenção baseada em condições analisa periodicamente a integridade dos componentes da máquina e, na sequência, compara os valores com as “condições” predefinidas. Dependendo do resultado a máquina está funcionando perfeitamente, caso contrário, alertas são gerados para a equipe de manutenção. Diferentemente da manutenção preditiva e prescritiva, o monitoramento das informações não ocorre em tempo real. 

Manutenção preditiva

Baseada em dados coletados por meio de sensores instalados nos equipamentos, a manutenção preditiva analisa sinais de deterioração dos componentes para prever quando sua troca é necessária. O foco é evitar intervenções desnecessárias. A modalidade exige o monitoramento constante de diversos fatores: vibrações, ruído, temperatura, entre outros para gerar alertas para a equipe de manutenção. 

Manutenção prescritiva

A manutenção prescritiva também usa dados e métricas para realizar uma análise mais profunda do equipamento na busca por falhas em potencial, de forma que uma ação corretiva seja prescrita para resolver o problema muito antes que ele aconteça. De acordo com o Gartner é caracterizada por análise de gráficos, simulações, processamento de eventos, redes neurais, mecanismos de recomendação, métodos heurísticos e aprendizado de máquina. 

O ROI dessas estratégias de manutenção pode ser medido de acordo com a redução nos custos de reparo e a redução no tempo de inatividade. Não existe uma estratégia que sirva para todas as empesas, então é preciso analisar a complexidade e criticidade de cada ativo para saber qual a estratégia mais indicada. 

 Realizar uma estratégia de manutenção eficiente pode ser um desafio para as empresas. E o primeiro passo é usar sistemas para monitorar ativos e planejar manutenções corretamente. Mas você está preparado para isso? Fale  com a gente e saiba como a Atech pode te ajudar a vencer esse desafio. 

CategoriesGestão de Ativos,  Pro

Saiba tudo sobre 4 tipos de manutenção

A manutenção, em geral, pode ser definida como os esforços feitos para manter a condição e o desempenho de uma máquina sempre como se tivesse acabado de ser fabricada. As empresas sabem como sua produtividade depende em parte de seus processos de manutenção industrial.

De fato, quatro tipos de manutenção são recorrentes no setor: preditiva, preventiva, planejada e corretiva. Esses conceitos nem sempre são fáceis de entender ou não são bem conhecidos por certas pessoas, e é por isso que precisam ser esclarecidos. Cada empresa tem necessidades muito peculiares e, portanto, precisa implementar um tipo específico de manutenção.

Por que a manutenção industrial é tão importante para os seus negócios?

Muitos setores podem confirmar como os custos com a gestão de ativos e a manutenção representam uma alta parcela dos custos operacionais. Os números obviamente variam de uma empresa para outra, mas às vezes podem representar até 50% dos custos globais de produção, sem levar em conta o tempo de inatividade planejado ou não planejado, o gerenciamento de estoque de peças e ferramentas, retrabalho, entre outros problemas.

Eventos imprevistos podem levar a custos adicionais, afetando a lucratividade e a produtividade de uma organização que depende, em parte, dos processos de manutenção que foram implementados. Portanto, as plantas devem adotar uma estratégia bem pensada e otimizada para garantir a confiabilidade de todos os equipamentos.

Se os técnicos e gerentes de manutenção tiverem a possibilidade de verificar o status de seus equipamentos e inserir informações em uma plataforma como a OKTO que os ajude a antecipar possíveis falhas, eles podem tornar os processos muito mais eficientes e executar intervenções bem organizadas. O objetivo final, é claro, é reduzir os gastos causados pela inatividade, bem como aumentar a produtividade e a lucratividade.

Vamos agora conhecer mais um pouco sobre cada um dos tipos de manutenção:

Manutenção preditiva

O desenvolvimento de soluções de processamento e análise de dados, bem como de inteligência artificial, permitiu que os fabricantes planejassem a manutenção preditiva com base na previsão de falhas e defeitos, monitorando os principais parâmetros e indicadores da operação e implementando as ações corretivas necessárias para antecipar qualquer falha ou mau funcionamento.

Com soluções para monitoramento de condição, planejamento e programação de ordens de manutenção, gestão da execução e gestão da confiabilidade do ativo, a plataforma OKTO, desenvolvida pela Atech, prepara seu negócio para os novos rumos da digitalização na área de gestão de ativos, com um olhar holístico para antecipar necessidades.

Esse tipo de manutenção automatizada e inteligente permite às empresas antecipar problemas planejando as intervenções necessárias com base em previsões. Assim, é possível limitar as despesas causadas por falhas inesperadas e interrupções na produção.

Manutenção preventiva

Esse tipo de manutenção é aplicado pelos técnicos responsáveis antes que ocorra qualquer falha ou mau funcionamento. A digitalização das plantas industriais oferece muitas soluções que permitem aos técnicos executar, monitorar e planejar a manutenção preventiva de forma eficaz. A manutenção preventiva pode ser agendada em uma escala baseada em tempo ou uso. Vamos ver um exemplo para cada um.

Manutenção preventiva com base no tempo

Um exemplo típico de uma escala de manutenção preventiva com base no tempo é uma inspeção regular em um equipamento crítico que impactaria severamente a produção no caso de uma avaria.

Manutenção preventiva baseada no uso

Escalas baseadas no uso são acionadas após uma certa quantidade de quilômetros, horas ou ciclos de produção. Um exemplo desse gatilho é a manutenção preventiva de um veículo a motor que pode ser programada a cada 10.000 km.

Manutenção planejada

manutenção planejada consiste em detectar e tratar as anormalidades dos equipamentos antes que eles produzam falhas ou perdas. O objetivo principal é o desenvolvimento de um sistema que promova a eliminação de atividades não programadas de manutenção.

Manutenção corretiva

A manutenção corretiva é realizada logo após a detecção de um defeito em um equipamento ou em uma linha de produção: seu objetivo é fazer com que o equipamento volte a funcionar normalmente, para que ele possa executar a função atribuída. A manutenção corretiva pode ser planejada ou não, dependendo da criação ou não de um plano de manutenção.

A manutenção corretiva age quando já existe uma falha, substituindo peças e componentes afetados, visando corrigir, restaurar e recuperar a capacidade de produção de uma instalação ou equipamento que tenha sofrido alteração em seu funcionamento.

Entre todos os tipos de manutenção, a corretiva é mais reativa, já que aguarda pela falha para, assim, determinar a ação de manutenção a ser realizada na estratégia de gestão de ativos.

Os técnicos aplicam a manutenção corretiva não planejada para reagir assim que uma falha não prevista ocorre e em geral é preciso uma intervenção imediata para que a linha de produção não seja afetada. Mas nem sempre os técnicos contam com peças para reposição, entre outros problemas.

A manutenção corretiva não planejada pode rapidamente se tornar mais cara que a planejada, pois pode levar a custos que não poderiam ser previstos. Mesmo que a manutenção preventiva nem sempre permita que as equipes de manutenção antecipem cada falha, pois ainda é muito difícil saber exatamente quais componentes estão prestes a falhar, ainda ajuda a reduzir muito a possibilidade de falhas.

Proudly powered by Wpopal.com