CategoriesConexões Inteligentes,  Gestão de Ativos,  Insights

O impacto do Digital Twin na Indústria 4.0

O conceito Digital Twin já existe há alguns anos, mas seu crescimento é mais recente devido ao uso de tecnologias mais sofisticadas, com mais recursos e mais baratas. Mas, o que significa o “gêmeo digital”? Basicamente, é uma réplica digital e interativa de um objeto, processo ou sistema, que atua como uma ponte entre o físico e o digital.  

Sua utilização surgiu na NASA, que criou maquetes em escala real de cápsulas espaciais para que os cientistas pudessem analisar possíveis problemas em órbita – esse modelo foi usado no resgate da Apolo 13 -, mas que, com o passar dos anos, deram lugar às simulações por computador. 

Na indústria 4.0, o digital twin cria modelos para otimizar produtos, máquinas e estratégias de manutenção e, quando integrado a IoT ou inteligência artificial, ajuda as empresas a prever e evitar falhas, reduzindo custos e o tempo de inatividade dos ativos e até para lançar novos produtos mais rapidamente no mercado.  

Por meio de sensores, dados são coletados em tempo real e usados para criar o gêmeo digital, permitindo que seja manipulado, analisado e otimizado. 

Os impactos na indústria 4.0

Com processos cada vez mais digitais, as indústrias precisam encontrar novas maneiras de entregar mais valor aos clientes ao mesmo tempo em que agregam valor aos próprios negócios. E o gêmeo digital permite às empresas terem em mãos todo o ciclo de vida de um produto, desde o design e seu desenvolvimento, de forma digital. 

 A tecnologia permite uma visão 360° e em tempo real dos ativos da empresa, de forma a tornar a estratégia de manutenção mais inteligente, as operações mais eficientes, permitir o treinamento dos funcionários e testar produtos antes do lançamento e, dessa forma, corrigir qualquer problema sem que os clientes sejam afetados. 

De acordo com a Forbes, o uso da tecnologia de gêmeos digitais pode melhorar a velocidade de processos críticos em 30% e também permitir que as empresas tenham uma maior compreensão de como seus processos podem ser simplificados e otimizados para reduzir o tempo de inatividade das máquinas por meio da manutenção preditiva. 

Da mesma forma, o uso de gêmeos digitais contribui para reduzir o desgaste dos componentes e gerar alertas em tempo real para que a equipe de manutenção realize reparos mais rapidamente, contribuindo para manter a produtividade. 

A tecnologia também permite resolver problemas remotamente. Por meio de réplicas digitais, a equipe de manutenção realiza diagnósticos de qualquer lugar e podem orientar os clientes no reparo de equipamentos. 

Para embarcar na tecnologia

Além dos sensores, o gêmeo digital precisa de uma rede de comunicação segura e confiável para a transmissão dos dados e uma plataforma digital que analise essas informações para criar insights que permitam decisões por meio da IA e aprendizado de máquina. Assim, antes de iniciar o projeto, é necessário analisar a infraestrutura de comunicação já existente para entender se ela é capaz de coletar e transmitir os dados de forma eficaz. 

Feito isso, a melhor maneira de embarcar na tecnologia é identificar quais ativos e processos têm maior potencial de serem beneficiados pela iniciativa de gêmeo digital e começar com um projeto piloto e evoluir de acordo com os resultados desse piloto e conforme a capacidade de TI da empresa. 

 O gêmeo digital contribui para que a empresa crie novos fluxos de receita, mas por onde começar? Fale com nossos especialistas e saiba como nossas soluções de gestão de ativos podem te ajudar nessa jornada. 

Proudly powered by Wpopal.com