CategoriesManutenção,  Melhoria Contínua

Como implementar um programa de manutenção preventiva

Em um mundo ideal, máquinas e equipamentos funcionam 100% do tempo, não apresentam falhas e não interrompem a produção. Claro, por melhor que seja um plano de manutenção, isso é impossível. Então, é necessário ter uma estratégia eficiente que reduza falhas, quebras e interrupções não programadas. E a manutenção preventiva, ou sua evolução, a manutenção preditiva, precisa ser parte dessa estratégia. 

 

Essa estratégia permite otimizar o trabalho das equipes de manutenção ao mesmo tempo em que aproveita o crescimento do uso de sensores conectados à IoT, no caso da manutenção preditiva, para tornar o processo de manutenção mais eficiente. 

 

Empresas que têm sua estratégia de negócios baseada em ativos e com várias instalações precisam de uma abordagem de manutenção proativa para reduzir o tempo de inatividade e aumentar a longevidade de seus ativos, além, é claro, de manter a fábrica funcionando e a produtividade em dia. 

 

O objetivo de uma boa estratégia de manutenção é um só: manter os ativos em funcionamento. 

Etapas para implementar a manutenção preventiva

Como acontece com qualquer nova estratégia ou projeto, o passo inicial é estabelecer metas e prioridades. Então, o que a empresa espera alcançar com a implementação de uma estratégia de manutenção preventiva? Ter metas claras é essencial para o sucesso da estratégia e para melhor alocação dos recursos.  Essas metas também precisam estar preparadas para se adaptarem, por exemplo, a fatores externos ou até mesmo a problemas financeiros da empresa. 

 

Feito isso, o passo seguinte pede que os ativos sejam mapeados e que informações sobre garantia, recomendações do fabricante, manual do usuário, manual de manutenção, informações sobre o histórico de manutenção e reparos e quão críticos são esses ativos sejam listadas. Com base nessas informações é possível criar um cronograma de manutenção.  

 

Com as metas definidas e o cronograma criado, chega o momento de gerenciar prioridades e recursos e destacar as ações que serão efetuadas, desde ações de manutenção preventiva nos ativos que mais afetam os objetivos, passando pela manutenção para detecção de falhas e a manutenção reativa programada em ativos menos críticos. 

 

De nada adianta ter metas sem definir indicadores de desempenho (KPI) para mensurar se esses objetivos foram alcançados. Uma plataforma de gestão de manutenção (IMMP) ou um Sistema Computadorizado de Gerenciamento de Informação (CMMS) facilitam o trabalho de agendar tarefas e definir esse cronograma e também para monitorar as KPIs. 

 

Por fim, a estratégia de manutenção precisa ser revista regularmente para analisar se todo o processo foi feito com eficiência ou se apresentou falhas ou desempenho abaixo do esperado e, com base nessas informações, realizar as alterações necessárias. 

Por que implementar uma estratégia de manutenção preditiva?

É possível afirmar que a manutenção preditiva é uma versão aprimorada da manutenção preventiva, pois planeja as intervenções analisando os dados capturados por sensores instalados nas máquinas. Isso permite que a manutenção seja realizada apenas quando há necessidade real de intervenção para que possíveis falhas não ocorram.  

 

É uma abordagem que evita interrupções desnecessárias, mesmo que programadas, de forma a evitar que a produção seja interrompida.  De acordo com a consultoria McKinsey, a manutenção preditiva pode reduzir a inatividade em até 50%, ao mesmo tempo em que aumenta a vida útil do equipamento em 40%. 

 

A manutenção preditiva, por meio da inteligência artificial e aprendizado de máquina estabelecem padrões que servem de base para analisar as condições de cada máquina. Algoritmos combinam esses padrões com as KPIs implementadas anteriormente para prever o desempenho dos ativos no futuro, de forma aumentar a confiabilidade do maquinário, reduzir interrupções e custos com manutenção e, principalmente, para prolongar a vida útil dos ativos. 

 

E o CMMS desempenha um papel importante na manutenção preditiva, pois facilita o acesso às informações de cada ativo, emite alertas e ordens de serviço, além de centralizar e analisar essas informações. 

 

As soluções para conexões inteligentes da Atech permitem que você monitore com maior eficiência seus ativos, tendo acesso a diagnósticos precisos e rápidos para identificar falhas e evitar interrupções não programadas. Entre em contato e saiba como podemos ajudar sua empresa. 

 

CategoriesConexões Inteligentes,  Manutenção

Qual é a diferença entre EAM e CMMS?

Em uma pesquisa sobre sistemas de gerenciamento de manutenção dois termos sempre se destacam: o software de gerenciamento de manutenção computadorizado (CMMS) e a solução de gerenciamento de ativos corporativos (EAM). Ambos, ainda, são frequentemente citados como se fossem sinônimos. 

Enquanto o CMMS conta com dados sobre a manutenção de equipamentos e é usado para melhorar a eficiência das equipes de manutenção, o EAM gerencia o ciclo de vida dos ativos, e inclui informações sobre as operações, manutenção, substituição de equipamentos e até o design de uma planta. O EAM foca em aspectos relacionados aos negócios, como os custos de manutenção dos equipamentos e depreciação, já o CMMS está mais conectado a funções operacionais. 

Apesar de diferentes, evoluções tecnológicas tornaram a linha entre eles muito mais tênue e confusa. 

O CMMS

O CMMS surgiu para substituir processos manuais, automatizar a gestão de manutenção e implementar o gerenciamento de ordem de serviço, gerenciamento de estoques de peças, realizar uma programação de manutenção preventiva e manter o histórico de manutenção.  

Ao manter seu foco no gerenciamento de ordens de serviço, as soluções CMMS evoluíram ao ponto de se tornarem referência para controlar os requisitos de manutenção em uma empresa, garantindo que a manutenção seja realizada pelo profissional adequado para aquela tarefa. Como conta com uma gama de recursos para documentar os processos de manutenção, a ferramenta é essencial para uma estratégia de manutenção preditiva e preventiva. 

O EAM

Já o EAM foi desenvolvido para otimizar os recursos do CMMS, oferecendo uma visão mais completa de como a estratégia de manutenção impacta nos negócios, mantendo seu foco na gestão desses ativos, durante todo seu ciclo de vida (esse gerenciamento do ciclo de vida de ativos era um recurso exclusivo do EAM, mas, hoje, também é oferecido por sistemas de CMMS) .  

 Ou seja, ele engloba resultados de monitoramento e planejamento, deixando os processos de manutenção em segundo plano, apesar da ferramenta prever a depreciação do maquinário e alertar quando uma peça precisa de manutenção. 

 Uma solução EAM também analisa dados sobre garantia e seguro do maquinário, o desempenho dos equipamentos e contribui para gerar relatórios sobre o impacto ambiental e trilhas de auditoria.  

 As ferramentas de EAM funcionam de forma parecida com uma solução de relacionamento com o cliente, pois oferece uma visão 360° de todos os ativos. 

 Diferenças importantes

Outro fator que os diferencia é que, embora a maioria das soluções EAM tragam recursos CMMS, nem todos os CMMS tem recursos EAM. Basicamente, o EAM é mais completo que o CMMS, mas também mais robusto em suas aplicações, e pode ser visto como uma evolução do CMMS. 

Então como saber qual o mais indicado para cada empresa? Especialistas usam uma regra que leva em consideração o porte da empresa. Uma companhia com mais de 100 funcionários de manutenção, com uma equipe diversificada, ou que tenha diversas instalações pode considerar uma solução EAM como ideal. Por outro lado, uma empresa menor, com poucos profissionais dedicados à manutenção de equipamentos, pode ser eficiente apenas com os recursos de um CMMS. 

Outro ponto em que o EAM e o CMMS se distanciam é em relação a quem os utiliza. No CMMS, técnicos e equipes de manutenção são os que utilizam diretamente a ferramenta. No EAM, além desses grupos, profissionais C-Level, de contabilidade e de conformidade, ou que trabalhem com questões relacionadas aos ativos da empresa, orçamentos também têm acesso às informações.  

Na verdade, as diferenças entre os dois sistemas estão ficando cada vez mais apagadas e com o aumento do uso de dados e crescimento da IoT, muitas outras mudanças devem vir no futuro, tornando qualquer uma dessas soluções indispensáveis para a indústria. 

Novas tecnologias para monitoramento de ativos simplesmente não funcionam sem uma rede de dados robusta e segura. E a Atech ajuda sua empresa e conectar seus sistemas de forma inteligente. Entre em contato e conheça nossas soluções de conexões inteligentes.

Proudly powered by Wpopal.com